Arquivo mensais:abril 2020

Monte Verde e a Pintura Bauernmalerei

Eu tenho uma história de longa data com a Vila de Monte Verde, que faz parte do município de Camanducaia, no sul de Minas Gerais. E também um longa história com a pintura Bauernmalerei, e quem me acompanha aqui sabe disso.

Hoje vou contar a história dessas duas histórias… 😉

Meu pai comprou um terreno em Monte Verde no início dos anos 70, quando eu tinha uns 6, 7 anos. A gente frequentava a região porque meu avô materno tinha um sítio em Extrema, que fica na divisa de SP com MG, já em Minas, na Serra da Mantiqueira.
Naquela época a estrada de acesso à Vila de MV era de terra, e difícil. Não era sempre que conseguíamos chegar lá, cidadezinha bucólica, com construções em estilo europeu e paisagem maravilhosa. Passamos bons momentos por lá…


Um trabalho meu com o bauernmalerei

Sobre a pintura Bauernmalerei você já conhecem um pouco mais… eu aprendi essa pintura a uns 30 anos, primeiro, com as revistas e livros que consegui na minha adolescência, depois, com uma aula prática com a professora Norma Donato, aqui de São Paulo, com quem aprendi também a técnica Fiorentina, isso no final dos anos 80.

Depois, nos anos 90, conhecia a grande professora Carmem Osterne, com quem fiz mais aulas e me aperfeiçoei nessa técnica tão bonita, uma pintura floral típica alemã que conquistou tanta gente no mundo todo…

Pois bem, eu nem poderia imaginar, porque conheci D. Carmem na cidade de São Paulo, mas ela tinha uma loja, um ateliê e uma casa em Monte Verde já naquela época. E ela ensinou muita gente da cidade a pintar o Bauernmalerei. E sua filha, Manu, como eu a conheci, já pintava lindamente naquela época também.

Bem, resumindo, muitos e muitos anos se passaram, D. Carmem está morando em Fortaleza, sua cidade natal, e sua filha, Manuela Osterne, mora e trabalha em Monte Verde, onde tem uma Pet Shop, mas segue pintando, faz criações exclusivas com costura para pets, e mais ainda, divulgando o lindo trabalho de sua mãe com a Pintura Bauermalerei pela cidade.

Ano passado, inclusive, ela participou de um evento organizado pela AHPMV (associação de hotéis e pousadas de Monte Verde) em homenagem à D. Carmem e uma linda exposição do Bauernmalerei, contando com a participação de muitas professoras e artesãs da cidade, ex-alunas de nossa mestra, e da qual eu também, honrosamente, participei. Aliás, a Pintura Bauernmalerei é patrimônio cultural da cidade, graças á D. Carmem, que sempre foi, e ainda é, uma grande divulgadora dessa linda arte.

Nesse período de quarentena Manu juntou um time de artistas e artesãs para decorar os bancos e lixeiras da avenida principal da cidade, sonho antigo dela e de sua mãe.

Estou ansiosa para esse período de isolamento passar e poder ir visitar a cidade novamente e ver o resultado dessa linda ação ao vivo! Mas, por hora, quero participar, de um jeito ou de outro dessa homenagem, e deixar aqui registrado esse lindo trabalho, com uma pintura tão importante para mim, e para tanta gente…


Lixeiras recicladas pelo grupo

Vou reproduzir abaixo o texto que a Manu enviou à todas as pessoas que participaram, um lindo agradecimento.
E quero dizer que ainda temos aquele pedacinho de chão em Monte Verde, e vontade, de quem sabe, realizar um sonho meu por lá também! <3

“Dirijo-me a vocês hoje, nesta oportunidade, para agradecer profundamente o apoio de todos para a execução e desenvolvimento no projeto de embelezamento da nossa avenida!
Há muitos anos, minha mãe, Carmem Osterne sonhava em pintar com Bauer a avenida, bancos e lixeiras . Hoje, resultado da união minha, Izildinha Antonelli e Rebeca Cisccato, esse projeto é uma realidade e uma conquista!
Esta conquista não teria sido possível se nao tivéssemos tido , além do vosso apoio, a participação efetiva de diversas artesãs que aprenderam Bauer com a minha mãe e hoje ensinam a outras pessoas, fazendo disto um movimento cultural que se auto alimenta e enriquece nossa Vila com peculiaridades alemãs que a distinguem como cenário e destino mágico ” europeu” em plena Serra da Mantiqueira.
Assim, neste momento partilhamos as fotografias do resultado da união de forças, vontade e arte!
Eterna gratidão!”
Manuela Osterne