Gnomos e duendes

Era por volta de 1990, 1991.
Eu já tinha meu ateliê (uma micro empresa), e foi um período em que surgiu uma onda esotérica que estava rendendo muito… E eu não poderia ficar de fora.

gnomos livro 1

Uma artista plástica de São Paulo, Heloisa Galves, acabara de lançar sua linha de produtos, a Alemdalenda, com um série de gnomos e duendes feitos com resina e tecidos, e que faziam um tremendo sucesso.

Como eu estava começando a trabalhar com miniaturas e tinha aprendido algumas técnicas de reprodução de peças de resina com moldes de silicone, resolvi me aventurar e criar minha própria linha de personagens.

gnomos durepoxi

Eu não tinha muita habilidade para modelar, então pedi para minha sogra, D. Yeda Quadros, fazer os bonequinhos em massa epóxi (ela é super talentosa, faz de tudo!). Usando esse meu livro de gnomos como referência – além algumas ideias a mais – ela modelou os bonequinhos, que eu reproduzia em resina e pintava, um a um.

gnomos 11

Cada um deles tinha um nome e uma historinha, que vinha em um papelzinho, como os da Alemdalenda (sim, era uma inspiração declarada mesmo…).

Esse casal bem típico de gnomos tinha até seus tradicionais chapeuzinhos de feltro, que eu costurava com pontos caseados. E alguns traziam pequenos cristais e florzinhas secas nas mãos.

gnomos livro

Bem, os do Alemdalenda eram muito mais produzidos e elaborados que os meus.

Achava incrível a qualidade das peças: eram incríveis e e admiráveis!
Eu mesma era fã de seus bonecos, que guardo até hoje. Tenho uma bela coleção deles, aliás…

gnomo pintado

gnomos molde

Os meus eram bem simpáticos, menorzinhos, bem mais baratos… mas muito menos sofisticados.

Eu fazia tudo sozinha, não dominava muito bem as técnicas, não conhecia tantos materiais e nem tinha muitos recursos.
Mas eles até que ficavam bons. Bem, pelo menos as pessoas gostavam…

gnomos 2

Eu os reproduzia utilizando moldes de silicone, e eles eram feitos em resina cristal, totalmente incolor, que precisava receber um fundo com um tipo de primmer antes da pintura. Depois dessa etapa, a pintura era feita com tintas ducco, e o acabamento com betume, para dar um efeito meio envelhecido mesmo…

gnomos 3

Todos os produtos que eu usava eram a base de solventes e tinham cheiro bem forte. Era duro trabalhar com esse materiais. Mesmo assim essa linha de gnomos e duendes foi minha produção que mais rendeu, em vendas, até hoje.
Vendi muitos, centenas de cada modelo, milhares deles, sem exagero.

gnomos 8

Havia uma loja de produtos esotéricos em Santo André (se não me engano o nome era Shamballa, ficava na rua das Figueiras). Essa loja era meu “distribuidor” – minha produção era vendida praticamente toda para eles, que depois revendiam para clientes e outras lojas do Brasil todo, mas eu vendia para amigos e conhecidos também, e cheguei a participar de uma feira de produtos esotéricos no Anhembi, aqui em São Paulo.

gnomos geral

Foi minha primeira participação em um grande evento. Eu tinha 23 anos, e ainda não sabia quase nada de nada… Mas trabalhar era tudo que eu mais queria, então valeu, e muito!

gnomos 7

Nós já tínhamos dois filhos pequenos, o Rafa e a Ana, eu cuidava deles, da casa e trabalhava feito louca…
Mas esse tempo dos gnomos e duendes fez toda diferença, eu ganhava realmente bem com as vendas, e essa renda foi fundamental para nosso orçamento doméstico naquele momento.

gnomos 9

Nessas fotos aparecem mais alguns modelos dos gnomos e duendes, mas não todos. Alguns se perderam, mas a maioria está aí, para ver e relembrar.
Cheguei a levá-los até Visconde de Mauá, no Rio de Janeiro, para tirar umas fotos no meio das cachoeiras e árvores, mas não sei se guardei alguma, ainda preciso procurar. Não havia fotos digitais naquele tempo, e muita coisa se perdia.

gnomos 6

Foi algo que durou um tempo, uns dois anos, se tanto…
Eu realmente tive que parar de mexer com aqueles produtos, que eram muito tóxicos e começaram a me fazer mal. Além disso, eu estava trabalhando tanto que quase tive um colapso, precisei diminuir o ritmo e mudar todo meu foco de trabalho.
Foi nessa época que abri minha loja, a “Feito em Casa”.

gnomos 4

Foi um tempo interessante, eu já fazia vários tipos de trabalho manuais, dava aulas, participava de bazares… Foi também quando publiquei minhas primeiras apostilas, produzia kits de ponto cruz, que vendia para outras lojas e também enviava pelos correios.

Era preciso diversificar e aproveitar as tendências, e como sempre nesse universo fazer aquilo que as pessoas procuravam mais. Era tempo do estilo country, foi quando comecei a pintar peças de madeira e me dedicar com mais intensidade à produção das miniaturas infantis, que depois se tornaram minha linha principal de produção.

gnomos

Naturalmente essa é uma outra história, qualquer hora conto para vocês…
Acima uma lembrança afetiva para mim, meu primeiro cartão de visitas, a minha saudosa loja Feito em Casa.
Bons tempos, e quanto tempo faz!
😀


10 comentários sobre “Gnomos e duendes

  1. Que linda sua trajetoria Cristina. Eu tbem ja fui muito apaixonada por duendes, eu os comprava sempre que encontrava pra vender. Ate jh continuo a gostar deles, mas não tenho nenhum mais, mas sempre estou bordando algum.

  2. Oi Cristina tudo bom, nossa que historia incrível também vivi essa época magica.
    Hoje tenho minha coleção Alemdalenda vi que você também os tem caso tenha interesse podemos fazer troca em algum repetido ou caso queira se desfazer me avise. Abraços

    1. OI, Jaqueline, sim, foi um tempo especial… Tenho minha coleção, sim, mas preciso fazer uma foto deles, para me recordar. Nunca pensei em vender ou trocar, mas quem sabe… Vou fazer um post com eles aqui, fique de olho! Beijos!

  3. achei muito linda sua história,e sempre que posso acompanho seu trabalho,você é muito talentosa e delicada,seus trabalhos são realmente muito bons.Estou a procura de moldes de silicone para fazer duendes e fadas, quero fazer um jardinzinho com estes personagens,faço um pouco de biscuit mas a massa não aguenta umidade,sera que se modelados em massa epóxi eles aguentariam a umidade?Tem de resina importados mais são muito caros.bjs

    1. Oi, Maria Ap., muito obrigada pelos elogios, fiquei realmente feliz! Então, eu usava os modelos em epóxi para fazer os moldes de silicone, e depois reproduzir em resina. Assim eu sei que eles dão certo, sim. 😀

  4. Nossa!!! Li toda a história e voltei no tempo…me vi novamente nos anos 90 na explosão da onda do esoterismo…foi mágico e ainda é…eu tenho até hoje tudo, magos, bruxas, gnomos, duendes, fadas, ondinas…livros…acredito que um dia vai voltar este tempo maravilhoso, parabéns pelo seu trabalho que vim a conhecer hoje tudo feito com muito carinho e dedicação muito lindo!

    1. Ah, Junior, eu adoro essas histórias, e estou preparando dois vídeos com os gnomos e duendes, se você gostam fique de olho por aqui! 😉

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *