108 dias para mudar

108 dias.
Entrei hoje no contador de dias para ver quanto falta para a primeira maratona que irei correr, e que será em Porto Alegre, no dia 11 de junho desse ano, 2017.
O contador me respondeu: 108.

IMG_7154
Meu japamala em meu cantinho ecumênico aqui em casa

Achei curioso esse número aparecer, porque 108 é o número de contas do japamala, um colar que usamos nas práticas de yôga para meditação (ele é muito parecido com um terço, usado para rezar).

O número 108 não é aleatório – ele tem muitos significados na cultura yogui – e é usado em meditações. Muitos acreditam que entoando o mesmo mantra 108 vezes, é possível entrar num estado de meditação profundo. Eu pratico yoga há 17 anos, mesmo tempo que tenho com corredora (sim, comecei as duas práticas no mesmo mês e ano) e estou há 13 anos praticando na mesma escola, na Vila Mariana, aqui em São Paulo. Me lembro muito bem como foi minha primeira aula experimental por lá, em um janeiro. Nunca vou me esquecer da música que estava tocando quando iniciamos aquela aula, e até hoje essa música me leva de volta a aquele tempo bom, de uma forma muito acolhedora e agradável.

Pois bem, voltei a praticar yoga ontem, depois de mais de um mês sem fazer, por conta das férias. E estava tocando exatamente essa mesma música, da primeira aula experimental, daquele primeiro dia, bem no início da prática.
Tudo isso me fez pensar em tantas coisas…

Me fez pensar em como têm coisas que nos fazem tão, mas tão bem, mas que com o tempo a gente vai se esquecendo, deixando de lado – e elas fazem muita falta.

Me fez pensar também que eu tenho 108 dias para mudar, 108 dias para me concentrar e atingir o meu “máximo”, conseguir, enfim, correr minha maratona.

16901599_1252583841463514_711817778_n
Minha primeira corrida depois das férias

Tenho medo, dúvidas e uma boa quantidade de dor para carregar.
Sim, é fato que as coisas não são mesmo fáceis, e não são para ninguém. Mas eu sinto que esse é o momento de superar isso, eu quero conseguir, e só vou saber como será fazendo.

Também pensei em muitas outras coisas voltando das férias, afinal, ver e viver outras realidades nos faz repensar as nossas realidades, e a gente precisa mesmo de um afastamento para compreender algumas coisas.
E eu compreendi que andei escolhendo uns caminhos errados nos últimos anos, e me afastando das coisas que são realmente fundamentais para mim.

Quero mudar, e sinto que preciso começar isso HOJE, não dá para esperar nem um dia a mais. Daí a importância de ter achado o número 108 justo hoje também.

Eu adoro escrever aqui nesse blog.
É, talvez, umas das coisas que mais gosto de fazer, porque é como meu diário, é um registro da minha vida, algo muito importante para mim. Claro que poder compartilhar isso com todo mundo que quiser é muito bom também. Claro.
Mas o que me move, fundamentalmente, é estar aqui e escrever. Me faz aprender, crescer, criar, produzir e mudar, quando preciso.

E por um certo tempo eu cheguei a pensar que devia abandonar esse blog e ficar apenas nas redes sociais. Cheguei a tirá-lo do ar por algumas poucas semanas (poucas, mas sim! que coisa!).
Que erro!

As redes sociais, sobretudo o facebook (porque é a rede que mais uso), são traiçoeiras. Elas nos seduzem com curtidas e likes, e nos afastam do que importa, que é estar aqui.
Elas nos fecham em um círculo de aceitação ou rejeição, como se houvesse só aplausos, e por outro lado, vaias para tudo e todos que não pensam com nós.

Percebi que eu dedico um tempo ABSURDO ao facebook. E tempo, nós sabemos, é nosso bem mais precioso. Todo mundo nasce com sua ampulheta correndo, a areia caindo, e a certeza que uma hora vai acabar.
Então cada minuto, cada segundo vale muito. Não dá para jogar fora. Não mais.

Lá tem coisas boas, é verdade, e essas eu espero preservar. Encontrei muita gente bacana para meu trabalho, muitas oportunidades e muito espaço para compartilhar o que faço. Também encontrei muitas pessoas fazendo coisas incríveis, coisas que eu nem poderia imaginar. Encontrei amigos de verdade (sim, é possível fazer amizades virtuais, e que depois também viram reais). E encontrei meu hobby, não posso deixar de mencionar, afinal, passei a colecionar as Blythes, Moranguinhos e Bonecas Vintage por conta dele, do facebook.
Isso eu quero conservar.

Mas também encontrei um terreno muito perigoso para a gente afundar numa rede de discordância, de rancores, de rompimentos.

Não é que a gente possa esperar só o que aprovamos. O mundo é feito de 7 bilhões de diferentes, não daria mesmo para achar que seria sempre “a nossa cara”. Mas desgastar-se com essa diferença é que não faz sentido. Quero evitar os confrontos desnecessários e desgastantes, porque isso custo muito caro, custa, sobretudo, um tempo que quero dedicar a outras coisas.

A diferença deve ser positiva, boa para a gente avaliar e mudar. Não para romper e separar, e em alguns momentos, as redes sociais parecem só saber fazer isso.

Eu não quero me perder no “meu mundinho” e ficar olhando só para mim.
Eu quero levantar a cabeça e olhar o horizonte, e enxergar algo que nunca vi, como foi nessa linda viagem de férias que acabei de fazer. Olhar outras paisagens, sim, e sempre, e trazer o que há de melhor de cada novo lugar.

E isso se aplica às redes sociais também; é sempre muito bom ver com os olhos dos outros, isso é empatia. Mas tem hora que a gente precisa de uma certa distância para enxergar esse horizonte, então estou me afastando um pouco de lá.

Por isso hoje escrevo aqui, coisa que adoro fazer, e venho em busca de uma experiência muito boa que já vivi, e sei que é real e possível. Escrever no meu blog sempre me fez bem, nunca, nenhuma vez foi uma experiência ruim. Então é aqui que quero compartilhar com vocês minhas ideias, meus pensamentos, minhas tristezas, alegrias, dúvidas, e tudo que tenho visto e vale a pena dividir, e principalmente tudo que ando fazendo.

Como sempre foi e sempre me fez bem.

108 dias para ficar mais leve e chegar mais longe. 108 dias para minha maratona.
E quem quiser pode me acompanhar aqui. 🙂

16901712_1252583824796849_841712028_n
Parque do Ibirapuera, onde estou treinando

3 pensou em “108 dias para mudar

    1. Não é mesmo, Ana? Eu realmente preciso me “desintoxicar”das redes sociais e fazer mais o que me faz bem. Como praticar yoga. Acabei diminuindo as práticas por falta de tempo, então vou buscar meu tempo d evolta. 😉 Beijos!

  1. Isso, mãe, mudar é sempre bom… Por isso também que resolvi esse ano fazer disciplinas, me envolver em um projeto de divulgação científica, escrever é muito bom mesmo, e os seus textos são muito sinceros e reais! Adorei! Bons 108 dias!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *