“A dor é inevitável. Sofrer é opcional”

Meu pé direito agora é que está com a fasciite complicada, a dor está intensa, e a corrida prejudicada.
A fáscia é a membrana que envolve o músculo, e é ela que se “liga” aos ossos (todos nossos músculos têm essa capa, a fáscia). No meu caso é a fáscia da planta do pé que está inflamada, e, forçando o osso do calcanhar (onde se prende) forma esporões que causam muita dor. Eu tive esse problema no pé esquerdo em 2014 e só agora ele está realmente ficando bom. Ao menos consegui correr a maratona em junho, não posso me queixar.

Na corrida é assim, como muito bem escreveu Haruki Murakami em seu livro “Do que eu falo quando falo de corrida”: A dor é inevitável. Sofrer é opcional.

Dessa vez escolhi que não vou sofrer, então já aceitei minha nova condição, preciso cuidar desse pé. Mas também não vou ficar sem correr totalmente, porque sei o quanto isso me custa.

Meus treinos mudaram, corrida agora só duas vezes por semana, por 7,5 km no máximo, e correndo na grama ou cascalho, nada de asfalto. Muito menos dos que os 50, 60 km por semana de corrida que eu estava fazendo durante meus treinos para a maratona.

Para não ficar sem os treinos aeróbicos, resolvi assumir a bicicleta.
Me presenteei com um modelo de treino, mais adequado que a bike de passeio que eu usava; comprei capacete, luvas, bermuda especial e agora vou pedalar três vezes por semana, treinos mais intensos, ao invés de apenas fazer o treino leve aos sábados, entre as corridas. A cada treino, pelo menos 20 km de pedaladas, é eu objetivo. E em um dos dias da semana farei meu longo, com 30, quem sabe até 40 km.

Não é de todo mal.

Mudar é bom, e, quase sempre, necessário. Nesse caso, inevitável.
O que não consigo mesmo é ficar parada. E vamos lá ver o que os treinos de bike irão me trazer de bom. 😀


2 comentários sobre ““A dor é inevitável. Sofrer é opcional”

  1. Ahhhh Cris, vai trazer muitas coisas boas…. Com a bike você poderá ir mais longe e observar, com seu olhar atento e antenado, essa cidade maravilhosa. Taí um objetivo meu, andar de bike por aí. Boa sorte e aproveite bem, logo nos encontraremos. Beijinhos

    1. Ah, puxa, obrigada, Marrinês… eu gosto mesmo é de correr, como você sabe. Mas a bike é legal, e no fim, o importante é a gente se mexer… Por enquanto penso em pedalar só no parque, mas quem sabe essa sua ideia é bem bacana, ver a cidade de outra maneira. Adorei! Beijos e obrigada por passar por aqui!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *