Guia Bons Negócios – Como calcular o preço de venda de seu trabalho

5 de maio de 2011

O Cálculo do Preço de Venda

Essa é uma questão bastante importante, uma vez que quase sempre os artesãos não sabem como avaliar seu trabalho e calcular o preço de seu produto. É fundamental que o preço esteja de acordo com o mercado local e com o seu custo de produção e, por isso, você vai precisar levantar algumas informações. Para evitar possíveis erros de cálculo, você deverá levar em conta o preço de mercado dos produtos similares ao que você produz (se houver), o tempo de execução de cada peça e sua capacidade de produção.

Para chegar ao preço final você deve calcular todo o gasto com os materiais que foram utilizados para a execução de determinada peça, levando em conta não apenas os custos diretos (preço da peça bruta, incluindo acabamento e apresentação), mas também os indiretos (gastos com energia, água, telefone, publicidade, aluguel do local de trabalho, se for o caso). Você deve então multiplicar esse valor por três para encontrar seu preço final de venda.

Uma regrinha quase sempre utilizada pelos artesãos é a “multiplicar por três”. Nessa regra, o preço final do produto é composto por três partes iguais, uma representando o custo do material, a segunda o trabalho necessário para sua produção e a terceira corresponde ao seu ganho real ou lucro. Veja o exemplo abaixo:

Custo de uma caixa de madeira pirografada:
- preço da caixa bruta R$3,50
- gastos com tintas (valor estimado) R$0,50
- gasto com o papel para forrar a caixa R$0,20
- gasto com a energia para funcionamento do pirógrafo R$0,40
custo total da peça R$4,60

preço final de venda, baseando-se na regra “multiplica por três”
R$4,60 X 3 = R$13,80

Essa maneira de calcular o preço de venda é bastante simplificada, mas pode tranquilamente ser aplicada por quem está se iniciando nos negócios.

Você pode também estabelecer o preço de venda do seu produto de acordo com sua capacidade de produção. Para calcular a capacidade de produção some quantas peças você produz por mês e divida pelo número de horas trabalhadas. Caso determinado produto precise de muitas horas para ser concluído, você deverá acrescentar um ou mais fatores de multiplicação, de forma que o preço de venda seja equivalente a 4 ou mais vezes o gasto de produção. Quanto mais trabalhoso o produto e, portanto, menor sua capacidade de produção, mais elevado deverá ser o preço de venda.

Em contrapartida, trabalhos muito simples de ser confeccionados, permitindo uma capacidade de produção bem maior, deverão ter um preço de venda bem inferior, muitas vezes nem atingindo 3 vezes o valor de custo, como no caso do exemplo acima citado. Veja os exemplos abaixo:

Exemplo 1
Custo de um quadrinho bordado de Ponto Cruz – tempo de trabalho: 10 horas.
- gasto com materiais (tecido e linhas) R$2,00
- gasto com a moldura R$4,00
custo total da peça R$6,00

preço final de venda, baseando-se na regra “multiplica por três”
R$6,00 X 3 = R$18,00

Preço real a ser cobrado: em função das muitas horas necessárias para a realização desse trabalho, utilizamos 5 como fator de multiplicação do preço de custo, chegando ao preço de venda de R$30,00

Exemplo 2
Custo de um pano de prato pintado com stencil – tempo de trabalho: 20 minutos.
- gasto com tintas R$0,50
- gasto com o pano de prato (simples, só com viés) R$2,00
custo total da peça R$2,50

preço final de venda, baseando-se na regra “multiplica por três”
R$2,50 X 3 = R$7,50

Preço real a ser cobrado: em função do pouco tempo necessário para fazer cada pano de prato e da possibilidade de fazer muitas peças com o mesmo material, além da pesquisa de mercado demonstrando que há muitas opções de produtos similares no mercado, não vamos utilizar o fato 3 para multiplicação, mas calcular o preço de venda pelo dobro do custo total da peça, chegando ao preço de R$5,00

Outra maneira de estabelecer o preço de venda de um produto é calcular quantas peças você tem capacidade de produzir por mês e determinar o quanto você gostaria de ter de rendimento mensal, como se fosse um salário. Nesse caso, você deve acrescentar ao valor gasto com o custo do material o valor unitário de ganho para cada peça. Veja o exemplo abaixo:

O artesão produz 150 peças mensais e deseja receber um rendimento de R$1.200,00 com seu trabalho.
1.200 reais divididos por 150 peças correspondem a R$8,00 de ganho real por peça. O custo de produção de cada peça, já considerando todos os gastos diretos e indiretos, é de R$6,00.

O preço de cada peça fica em:
- custo de produção R$6,00
- ganho real por peça R$8,00
- preço de venda final R$14,00

Essa maneira de se calcular o preço de venda é muito eficaz quando o artesão tem uma capacidade limitada de produção e um comprador frequënte, como uma ou mais determinadas lojas que compram toda sua produção. Ele tem a venda garantida e pode estabelecer quanto quer ganhar com seu artesanato por mês, sem se preocupar em buscar clientes, já que tem seus compradores regulares.

Outra questão que pode influenciar muito o cálculo do preço de venda dos seus produtos é o tipo de cliente que você possui. Se você vai vender para lojas diversas ou revendedores, o seu preço de venda deve ser mais baixo, uma vez que esses revendedores irão cobrar dos clientes finais o custo com a peça feita por você e o lucro de cada um deles. Em geral, as lojas colocam de 50 a 100% em cima do valor cobrado pelo artesão. Nesse caso, uma peça que você fornece ao revendedor por R$10,00 será vendida por um valor entre R$15,00 e R$20,00. Se o seu preço for muito elevado, o preço final da peça ficará muito alto e os produtos não serão vendidos. Como nesses casos as lojas compram em quantidade maior e com freqüência, vale a pena colocar um preço mais baixo para garantir a venda.

Caso o seu cliente seja o comprador final, considerando que você já tem um ponto de venda próprio ou vende pessoalmente seus trabalhos para os interessados, o preço dos seus produtos pode ser um pouco mais elevado, já que não há nenhum intermediário entre você, o produtos, e o consumidor final.

Veja abaixo um resumo das regras básicas de cálculo de preço de venda de produtos artesanais:

- Você pode calcular o preço de venda multiplicando por 3 o valor gasto com a confecção de cada peça, em casos normais de produção;
- Produtos que tenham um custo de produção alto mas que sejam fáceis de fazer, tomando pouco tempo do seu trabalho, devem ter seu preço calculado baseando-se apenas em duas vezes o valor gasto com a produção, pois, do contrário, seu preço ficaria muito elevado e você teria dificuldade em vendê-los;
- Produtos que levam muito tempo para ser confeccionados podem ter seu custo de produção multiplicado por mais vezes para que se encontre um preço de venda que compense o tempo despendido para confeccioná-lo;
- Produtos com o custo de produção muito baixos podem ter seu preço calculado com fatores de multiplicação maiores que 3, de acordo com o mercado e suas necessidades;
- O preço de venda pode variar de acordo com o tipo de cliente que você possui: lojas e revendedores pedem um preço mais baixo e clientes finais podem ter um preço de venda um pouco maior;
- Você deve pesquisar na região em que pretende atuar o valor de mercado de produtos similares aos que você confecciona. Se o produto que você faz tem muita concorrência, o preço deve acompanhar o mercado para que você não fique atrás e tenha dificuldade em vender seu trabalho.
- Cuidado ao oferecer descontos sobre os preços dos seus produtos. Tenha em mente o valor mínimo de venda, ou seja, o preço mínimo que você deve cobrar por um produto de maneira que você consiga cobrir todos os gastos diretos e indiretos com a produção do mesmo, incluindo gastos com transporte, embalagem, publicidade, etc.

Claro que não é possível esgotar um tema complexo como esse em um resumo tão simplificado, mas com as orientações acima acho que já é possível você ter uma boa base para começar. Pesquise mais o assunto, procure um curso, uma orientação mais completa e olhe seu trabalho com profissionalismo. É possível crescer, acredite. E até amanhã, com mai conversa por aqui…


Filed under: Dicas do Ateliê,Guia Bons Negócios

Tags:, ,

22 Comentários Deixe um comentário

  • 1. Jacqueline Geaquinto  |  6 de maio de 2011 às 6:30

    Adorei!!!
    bjs

  • 2. Marlêde Galvão Malta  |  6 de maio de 2011 às 9:04

    Muito bacana essas dicas. Aliás, uma verdadeira aula que está sendo muito útil para nós que trabalhamos com trabalhos manuais. Realmente precisamos agir com profissionalismo e valorizarmos nosso trabalho. Obrigada, Cris pela contribuição que você nos dá. Um grande abraço.

  • 3. BOLO DELÍCIA  |  9 de maio de 2011 às 20:26

    REALMENTE DEVEMOS VALORIZAR O TRABALHO DE NOSSAS MÃOS E ESTAS DICAS FORAM NOTA NOTA 1000. SÓ O ARTESÃO SABE O QUANTO É DIFÍCIL CADA DEDINHO CORTADO,CADA UNHA QUEBRADA ,ENFIM A DEDICAÇÃO QUE NECESSITA CADA PEÇA!

  • 4. Cristina Bottallo  |  10 de maio de 2011 às 8:27

    Olá, Bolo Delícia, bem-vinda ao meu blog (ou seria bem-vindo?). Eu trabalho muito para que o artesanato seja mais valorizado, e achoq ue todos que apreciam essa arte assim como nós devem fazer o mesmo. Obrigada!

  • 5. Cristina Bottallo  |  10 de maio de 2011 às 9:43

    Que legal, Marlêde, bom saber que estea gostando… bjs.

  • 6. Cristina Bottallo  |  10 de maio de 2011 às 9:43

    Obrigada, Jacque!

  • 7. Luciana  |  23 de abril de 2012 às 14:52

    Amei a dica sobre como colocar preço nos produtos.Já usava a regra de 3,mas achei que estava praticando de modo errado.Que Deus te abençoe e que sejas uma luz para ajudar aqueles que estão iniciando.Bjs.

  • 8. Cristina Bottallo  |  25 de abril de 2012 às 21:40

    Oi, Luciana, que legal, bom saber que minhas dicas ajudam… Beijos e boa semana!

  • 9. Valéria  |  27 de abril de 2012 às 14:38

    Gostei muito das dicas!Obrigada!

  • 10. Cristina Bottallo  |  29 de abril de 2012 às 23:21

    Oi, Valéria, que legal, obrigada! Gostei do seu comentário!

  • 11. Dinalva Silva  |  24 de janeiro de 2013 às 19:49

    Sra. Cristina, quando li essa matéria fiquei muito preocupada com os leitores que estão seguindo essa “orientações equivocadas”. Sou consultora financeira, especialista na área de custos, por isso tenho propriedade para tal comentário. Na realidade quem dita preço é o mercado. Quanto ao custo é preciso saber identificá-los, classificá-los, quantificá-los e mensurá-los de forma correta, caso contrário o produtor(artesão) nunca saberá qual é realmente sua margem de lucro ou prejuízo. Sugiro a todos os leitores que procurem o Sebrae de sua cidade para receber orientação certa, pois essa está totalmente equivocada. Obrigada

  • 12. Cristina Bottallo  |  29 de janeiro de 2013 às 9:53

    Olá, Dinalva…
    Agradeço sua preocupação e participação em meu blog, embora não concorde com tudo que você diz… em meu texto deixo claro que são muitos os fatores que devem ser levados em conta para fazer o cálculo dos preços de venda, inclusive o preço de mercado… em minha experiência de mais de 25 ano com um empresa de artesanato, eu já experimentei muitas formas de vendas e apenas simplifiquei essas fórmulas no texto, onde também recomendo que as pessoas busquem orientação especializada. Eu mesma fiz cursos no SEBRAE (e recomendo) e embora não comente isso nesse post específico, já fiz até uma reportagem com consultores do SEBRAE de Pernambuco em outros posts.
    Mas agradeço sua contribuição, é sempre bom contar com opiniões variadas.
    Um abraço!

  • 13. Raquel  |  15 de março de 2013 às 23:35

    Boa noite, Cristina!!!!
    sou iniciante e gostaria de saber como faço para calcular o valor de uma pintura em artesanato com a pessoa comprando as peças e todo material a ser utilizado. Um abraço.

  • 14. Cristina Bottallo  |  16 de março de 2013 às 8:53

    Oi, Raquel… Nossa, muito difícil te responder essa pergunta… o preço de trabalho de cada um pode variar tanto… mas uma dica, procure se informar quanto custo um trabalho similar no mercado, faça os cálculos descontando os custos e veja se compensa para vc, pelo seu tempo de trabalho.
    Beijos e boa sorte!

  • 15. Raquel  |  16 de março de 2013 às 12:10

    Muito Obrigado pela dica

  • 16. Cristina Bottallo  |  16 de março de 2013 às 14:11

    Legal, Raquel… e boa sorte nas suas encomendas… ;)

  • 17. Raquel Nunes  |  22 de março de 2013 às 15:54

    Faço quadrinhos infantis 3D e nunca sei por quanto posso vende-los

  • 18. Cristina Bottallo  |  24 de março de 2013 às 16:45

    Pois é, Raquel, é difícil mesmo acertar essa questão do preço… são vários fatores para se levar em conta, o preço de mercado, seus custos, tempo de produção… Eu estou sempre pensando nisso, e não há uma fórmula, cada caso é único. Bom trabalho para vc!

  • 19. ira navega bitencourt de souza  |  18 de janeiro de 2014 às 11:59

    ola boa tarde não consigo por preço em meus panos de prato pintados a mao com barra de crochê pode me ajudar! obrigado

  • 20. André C.  |  25 de janeiro de 2014 às 10:30

    finalmente achei a forma de poder calcular o valor de minhas telas , valeu !

  • 21. Cristina Bottallo  |  10 de fevereiro de 2014 às 12:15

    Oi, André, que legal, bom saber que meu post foi útil… Obrigada!

  • 22. Cristina Bottallo  |  10 de fevereiro de 2014 às 12:21

    Ira, veja o pst que escrevi sobre isso nesse link:
    http://cristinabottallo.art.br/blog2/?p=5872

Deixe um comentário

(obrigatório)

(obrigatório), (Oculto)

XHTML: You can use these tags: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>

TrackBack URL  |  Feed RSS para comentários sobre este post.


Lista de Links

UM POST POR DIA

Durante todo ano de 2010 eu postei aqui no blog uma nova técnica por dia, com fotos, passo a passo, algumas com vídeos... Todos esses 365 trabalhos estão aqui, e você pode vê-los buscando no calendário abaixo (use as setas para recuar ou avançar nos meses) ou veja todas as técnicas já publicadas no link "Todas as Técnicas" acima. Aproveitem e naveguem por aí... Abraços e obrigada pela visita, Cristina Bottallo

 

julho 2014
S T Q Q S S D
« jun    
 123456
78910111213
14151617181920
21222324252627
28293031  

LOJA DE CRISTINA BOTTALLO

PROJETO PASSO A PASSO

Arquivos

Tags

Anunciantes