Trabalhos em Papel

“Quando o corpo pede um pouco mais de alma”…

Olá, pessoal, boa tarde!

Peço licença ao Lenine, de quem sou fã incondicional, para usar uma de suas frases no título do meu post de hoje. Sim, tem hora que o corpo pede mais um pouco mais de alma, e foi essa a inspiração do caderno que irei mostrar a vocês hoje – aliás, a inspiração veio dessa música e da minha coleção de Divinos (na foto abaixo) também.


Parte da minha coleção de Divinos

Mas, antes de mostrar o caderno, conto que sigo aqui, reclusa em meu ateliê, trabalhando com nunca… Semana que vem vou participar de um evento especial e estou correndo para finalizar tudo. Muito trabalho, mas feliz e realizada, afinal esse é um projeto, ou melhor, um sonho antigo.

Muito bom!
Mas meu corpo está pedindo um pouco mais de alma, juro, juro! E pensando nisso resolvi escrever para vocês um pouco, afinal, isso me dá um tantão mais de alma, acreditem…

Pensando nisso tudo, nada melhor do que mostrar meu mais “cheio de alma” caderno artístico, o caderno “Divino”:


Caderno Divino

Eu já mostrei esse caderno para vocês antes, já publiquei o passo a passo em revista, já o apresentei na tv… ou seja, esse post não é novidade, mas vou começar mostrando com mais detalhes as páginas que fiz e posteriormente novas páginas virão.

O caderno que usei é um desses cadernos simples, tipo brochura e de capa dura. Eu desmontei o caderno separando o miolo da capa, retirei a película plástica da capa, pintei tudo com base acrílica para artesanato e depois fiz uma pintura manchada com sal e tinta aquarela líquida.

E para decorar a capa eu fiz uma colagem/bordado com tecidos pintados a mão e engomados com termolina, para que não desfiassem ao ser recortados.


Primeira página dupla do caderno

No verso da capa e na primeira página do caderno eu fiz uma pintura com aquarelas líquidas também, mas na primeira página eu também trabalhei com tinta guache branca, aplicada com um pincel de cerdas duras e sobre a pintura aquarelada já bem seca. Raspei o pincel na página, com a tinta guache branca sem diluir, e ela deu um acabamento meio de pátina no papel.


Detalhe da página com texto

Depois eu usei canetinhas coloridas e tinta guache para pintar os desenhos e barradinhos da página, sobre o fundo já bem seco, naturalmente. E com uma caneta preta de escrita fina escrevi o texto.


Detalhe da página com desenho

Ah, também colei uns pequenos corações de papéis coloridos feitos em furadores de scrapbooking. E para finalizar, peguei a cera em pasta na cor prata e passei em toda a página, bem pouco, com as pontas dos dedos, só para realçar mais o efeito de pátina envelhecida que dei ao papel.

Adoro Divinos! Tanto que eles são tem de uma coleção em minha casa, coleção que está crescendo, e espero, nunca deixe de crescer, assim como nossas almas.


11 Comments

  • Maristela

    Oi Cris, tudo bem?
    Certamente o Divino te concede muita criatividade. Que Ele continue te inspirando pra sempre e mais um dia! Gostei muito desse caderno, até viajei….rsrs.
    Enquanto o seu corpo pede um pouco mais de alma, minha alma pede um pouco mais de corpo: estão tão resfriada que qq hora meu nariz vai cair. Penso que os narizes podiam ser de encaixe, assim, a gente tirava, desentupia e colocava de novo no lugar!!!
    Eu tenho que sarar até sexta-feira, vou sair na Tucuruvi….hehehehehe…tudo de bom!!!!!!
    Beijos e uma boa semana.
    Fã nº 6
    PS: toda vez que eu termino um quadro (já pintei o 7º, olha no face) lembro de vc, que me inspirou a entrar na escola de pintura. Nesse momento te agradeço em pensamento e peço ao Divino que cubra sua vida de bençãos.

    • Cristina Bottallo

      Ah, que legal, Maristela, você vai desfilar no Carnaval! Esse é um sonho meu… Bem, daqueles que a gente nem imagina realizar, mas é… É que eu sou muito ruim de ginga, de rebolado, de tudo. Mas quem sabe, não?
      Espero que você já esteja melhor, que seu nariz tenha se recuperado. Eé muito ruim ficar doente…
      Muito obrigada pelos elogios e agradecimentos… para mim é uma satisfação imensa saber que você está pintando… Um beijão!

  • Maristela

    Cris, já estou melhor do resfriado. Acredite: não é preciso ter ginga, rebolado e afins pra desfilar. Mesmo porque, a fantasia não nos permite muitas acrobacias…. Essas, ficam para as passistas com aqueles corpinhos de sereia…rsrsrs. Eu mesma não sei sambar direito.
    Esse ano vamos em 4 casais incluindo meu irmão e cunhada, ainda não conseguimos convencer nossa mãe a ir também! (Ela diz que jamais irá).
    Se programe pra ir com a gente no ano que vem!
    É Tucuruvi!!!!!! hehehehe.
    Bjos.
    Ah…estou pintando umas rosas bem bonitas… já estou pegando a manha de pintar a rainha das flores!

    • Cristina Bottallo

      Ah, MAristela, você falando assim… quem sabe um dia me animo! Eu sou pior que um cabo de vassoura, acredite. E morro de vergonha. Fugia das aulas de expressão corporal na faculdade, juro! Terminei o curso depois porque simplesmente não podia fazer aquelas aulas, juro!
      Meu carnaval será trabalhando, e trabalhando muito, mas se der vou dar uma espiadinha na Tucuruvi.
      Bom desfile para vocês e parabéns pelas pinturas. Quero ver, hien!
      Beijos!

  • Maristela

    Cris, vc precisa viver essa emoção e sem qq vergonha!
    As fantasias são ótimas pra isso pq são compridas e encorpadas. Ninguém percebe que a gente não sabe sambar. Mesmo porque, como já escrevi, a fantasia nos limita bastante.
    Não dá pra se mover com desenvoltura. Basta aprender a coreografia e correr pro abraço!!!!! Desfilar é maravilhoso, é tanta cor, luz e brilho que a gente até se emociona.
    Se anima vai!!!!!
    Bjos e um bom carnaval.
    Que as luzes e cores da avenida inspirem seus trabalhos.
    Fã nº 6.

Deixe uma resposta para Cristina Bottallo Cancelar resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *