1 post por dia,  Serigrafia

SERIGRAFIA EM FLOR – 213

Olá, amigos, boa tarde…

Hoje o post é sobre uma técnica de gravura que eu gosto muito e que vocês já viram aqui muitas vezes, a serigrafia.

Pretendo colocar aqui outras técnicas de gravura também, então continuem acompanhando o blog para saber mais sobre esses trabalhos. Aí vai:


Quadrinho com serigrafia “Flor”

A Serigrafia (ou silkscreen, quer dizer seri: seda – grafia:escrita) surgiu no final do século IX, mas foi precisamente em 1907 que o inglês Samuel Simon patenteou a técnica de estamparia que utilizava um líquido isolante para pintar uma imagem negativa em tela de seda, que posteriormente seria utilizada para estampagem de tecidos. Alguns anos antes o artista inglês William Morris já havia utilizado um processo semelhante com finalidades artísticas. A serigrafia, portanto nasceu com um pé na indústria (destinada à estampagem industrial) e um pé na arte. Por isso esse método de reprodução gráfica sempre dividiu as opiniões dos críticos de arte, durante muito tempo a serigrafia não foi considerada uma técnica de gravura artística.

Hoje em dia a serigrafia não é mais descriminada e é reconhecida como uma técnica de gravura artística também, além de continuar sendo largamente utilizada pela indústria. O método de gravação da matriz utilizada na serigrafia é por permeação, ou seja, é feita uma pressão com o rodo sobre a tela, fazendo com que a tinta transpasse o tecido da tela e imprima a imagem no suporte desejado. 

A técnica da serigrafia consiste em bloquearmos o tecido que é esticado no bastidor (tela) com algum produto líquido (emulsão), utilizando o método direto (quando levamos esse líquido bloqueador direto ao tecido com o auxílio de um pincel, por exemplo) ou indireto, quando utilizamos um processo fotográfico, criando uma imagem em um fotolito, bloqueando as partes do desenho que desejamos reproduzir e expondo essa imagem à tela preparada com uma emulsão sensível à luz. As partes que estão bloqueadas nesse fotolito irão impedir que a luz passe, e, portanto, que a emulsão fixe-se nessas áreas, produzindo assim a matriz por onde a tinta irá passar. É um método de reprodução positiva da imagem: o que eu desenhar no fotolito corresponde exatamente ao que será impresso posteriormente. Esse é o método que eu utilizo.

Para fazer uma gravura em várias cores é preciso fazer um fotolito para cada cor ou impressão, gravar cada uma das telas e imprimi-las na ordem correta. Por exemplo:


Primeira cor de uma serigrafia, no caso, o fundo


Segunda cor, as pétalas da flor


Terceira cor, as folhas


Quarta cor, o miolo


Quinta e última cor, o contorno

Com esse processo é possível fazer uma variação incrível de imagens, uma vez que você pdoerá reproduzir qualquer tipo de textura e acabamento com a serigrafia. Em breve irei colocar aqui um passo de serigrafia em tecido.

Se quiserem saber mais sobre ess a técnoca vejam a revista que fiz com o Marcelo Darghan e o Vlady, na qual apresento o passo a passo completo da gravurinha de flor que utilizei para afzer o quadrinho que aparece na primeira foto do post. Ela está disponível em minha LOJA.


Revista Digital com passo de serigrafia

Abraços e até amanhã!


4 Comments

  • eni silva

    olá cris
    como eu já havia dito antes ,muito bom quando você coloca
    a história de algumas técnicas bom saber para melhor conhecer e a técnica sobre a flor de serigrafia está muito bem ……….linda..bjks

    • Cristina Bottallo

      Eu adoro escrever, Eni, então aproveito mesmo que vocês estão aí do outro lado para falar de todos esses temas que me encantam… em breve vou escrever sobre outras técnicas de gravura… Fique de olho!

  • Dilma Gomes Giusti

    amo todos os seus trabalhos., principalmente a serigrafia que há tempos tenho vontade de aprender.Só que prá sair de casa sou um horror.,vou ficar esperando que voce coloque aqui . bjs

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *