• Um pouco de tudo

    Viver entre pincéis e tintas

    Hoje eu tive um dia bom de ateliê: terminei um tear, fia mais duas páginas do meu caderno de técnicas, pintei mais uma página do meu novo caderno de motivos, finalizei umas peças que estavam prontas para serem envelhecidas, pintei outras duas, quase terminei mais uma. Amo o que faço, e adoro pintar. E me pego super angustiada nos dias em que meu trabalho não rende. Ano passado eu estava aqui também, em meu Ateliê na Mantiqueira, finalizando as peças para meu livro. Que saudades, que tempo bom! Foram três semanas produtivas, divertidas, preenchidas com tudo que gosto: a vista, a prática de atividade física, o trabalho. Mas nem sempre é assim, naturalmente… e os dias em que não produzo nada me causam uma grande angústia. Talvez não devesse ser assim, talvez eu devesse me dar por satisfeita sempre, mas juro, não consigo. Dia bom é dia em que pinto, bordo, teço, imprimo, gravo, colo, recorto, desenho… Ou seja, dia bom é dia de fazer algo com as mãos. Coisa…

  • Conversando

    CrisCast #68 – Mentiras e Verdades

    Como está difícil hoje em dia sabermos separar o que é verdade e o que é mentira, não é mesmo? Sobre isso falo em meu CrisCast dessa semana, e que você pode escutar no link abaixo: https://soundcloud.com/cristina-bottallo/criscast-67-mentiras-e-verdades A foto que ilustra esse post, embora não tenha nenhuma relação com o tema do podcast, eu escolhi como uma forma de mostrar minha preocupação com o futuro do nosso planeta. Quisera eu que a sabedoria das árvores pudessem iluminar o caminho da nossa humanidade.

  • Conversando

    CrisCast #48 – Inédito, mesmo sem ser novo…

    Não sei se já foi assim para vocês, mas eu já achei que cada trabalho que eu fizesse tinha que ser completamente novo… Que engano! Hoje sei que um trabalho pode render muitos e muitos frutos, e assim, novos trabalhos. E é sobre isso que falo hoje em meu CrisCast, para ouvir clique no link abaixo: https://soundcloud.com/cristina-bottallo/criscast-47-inedito-mesmo-sem-ser-novo Na foto montagem acima, por exemplo, eu mostro alguns dos meus últimos trabalhos, meus Livros nas Caixinhas, uma série de livros de artista que tenho feito desde ano passado. Nessa produção eu utilizei serigrafias minhas, do ano passado, que fizeram parte de uma exposição de mini-prints, com serigrafias das minha série Paisagens Imaginárias. Pois bem, eu retomei um trabalho com essas mesmas serigrafias, só que recortando fragmentos de suas imagens para criar os livros nas caixinhas, alguns deles estão na montagem acima, e você pode ver mais fotos abaixo. Recortar as gravuras e observá-las em pequenas partes me fez descobrir novos olhares para as mesmas imagens, e, assim, criar trabalhos inéditos a partir…